Plano de saúde deve pagar capacetinho para crianças com assimetria craniana. Fique atento!

Você, pai ou responsável, sabia que o plano de saúde deve custear a órtese para corrigir assimetria craniana? Ter essa informação é importante para assegurar que seu bebê receba o melhor tratamento a fim de garantir um bom desenvolvimento e bem-estar no futuro.

Plano de saúde deve pagar capacetinho para crianças com assimetria craniana.

Recém-nascidos diagnosticados com alguma deformidade craniana, como plagiocefalia, braquicefalia ou escafocefalia, costumam receber como orientação médica a utilização de uma órtese, também conhecida como capacetinho.

A prescrição é feita ainda quando bebê porque esse é o único período em que é possível corrigir as assimetrias sem grandes intervenções cirúrgicas. Isso porque o crânio da criança está em fase de crescimento rápido e, nesse momento, é possível fazer uma “moldagem” do desenvolvimento correto da cabeça.

Porém, na hora de pesquisar os valores do tratamento, muitos podem se angustiar, afinal, uma órtese craniana pode ter um preço elevado, que foge do orçamento de muitos pais. A boa notícia é que os planos de saúde são obrigados a cobrir este custo.

Assista o vídeo da Clínica Heads explicando a assimetria craniana posicionais e seus tratamentos

Plano de saúde deve pagar a órtese craniana

Fundamental para o desenvolvimento correto da cabeça do bebê com assimetria, uma órtese craniana pode ultrapassar o valor de 10 mil reais.

Mesmo necessária para a saúde da criança, nem todos os pais ou responsáveis possuem condições financeiras para pagar o tratamento. Por isso, a Justiça passou a entender que os planos de saúde devem arcar com o custo da compra do capacetinho para garantir o bem-estar dos pequenos.

Em casos em que a órtese craniana já tenha sido comprada sem o auxilio da operadora do plano, é possível também pedir o ressarcimento do valor.

Capacetinho para crianças

A órtese craniana auxilia no crescimento correto da cabeça, fazendo um apoio nas áreas proeminentes onde é necessário conter o crescimento e deixando um espaço livre nas áreas achatadas, onde é necessário fazer a correção.

O mesmo capacetinho é usado durante todo o tratamento, já que pode ser ajustado para manter os espaços e cuidar das áreas de apoio. São raros os casos em que é exigida uma segunda órtese.

O ideal é que seu uso seja iniciado ainda recém-nascido, entre os primeiros 3 e 18 meses de vida, já que, conforme o bebê vai ficando mais velho, a densidade, maleabilidade e mobilidade ósseas diminuem e, por consequência, os resultados podem ser limitados.

Assimetria craniana

As principais deformidades cranianas tratadas com o capacetinho para bebês são:

  • Plagiocefalia: a cabeça assume um formato “oblíquo”, ou seja, acontece uma espécie de torção na estrutura óssea do crânio e da face;
  • Braquicefalia: a cabeça possui um achatamento a região de trás da cabeça (diminuindo o diâmetro antero-posterior) e alargamento do osso lateral dos dois lados (aumentando o diâmetro latero-lateral);
  • Escafocefalia: é o oposto da braquicefalia; a cabeça apresenta alongamento excessivo e o crânio fica mais estreito.

LTSA Advogados especialista em direito da saúde

Quanto antes se inicia o tratamento para corrigir a assimetria craniana, mais rápidos e melhores são os resultados. Porém, o valor de uma órtese pode ser um grande empecilho para isso. Por este motivo, contar com o auxílio do plano de saúde é uma excelente saída para garantir uma vida saudável para a criança.

Caso a sua operadora se recuse a custear o tratamento, é importante buscar um escritório de advocacia, como a LTSA Advogados, afinal, é obrigação da empresa contratada arcar com este custo após a prescrição médica.
Formado por uma equipe com vivência prática e antenada no mercado, os advogados de nosso escritório trabalham com comprometimento para assegurar que seus direitos sejam respeitados e a saúde do seu bebê não seja colocada em risco.

Se você quer entender melhor a nossa forma de atuar, conhecer nossos profissionais ou apenas tirar dúvidas sobre direito do consumidor ou outras áreas, entre em contato conosco por telefone 11 4798-2316 ou WhatsApp 11 99959-1089 ou mande uma mensagem clicando aqui.